Orpheus, de Franz Stuck

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Rei David e Jônatas - não era amizade. Era amor.


Quem nunca ouviu falar do famoso rei David? Famoso no judaísmo, cristianismo e islamismo. O mesmo David que matou Golias, o mesmo David que governou a tribo de Judá. Então, existe na Bíblia um trecho em que David vai falar ao rei Saul está junto do rei o seu filho, príncipe, Jônatas. O rei David e Jônatas se apaixonam e declaram amor um ao outro. É isso mesmo! Mesmo que a Bíblia tenha escondido, a verdade está lá, no livro de Samuel 18:1-4.

Transcrevo logo a baixo os principais trechos que fazem menção ao relacionamento:


"  Samuel 18:1-4
E aconteceu que, assim que Davi acabou de falar ao rei Saul, a alma de Jônatas (filho de Saul) se ligou à alma de Davi, e Jônatas começou a amá-lo como à sua própria alma.
... Jônatas e Davi fizeram um pacto, pois aquele o amava como à sua própria alma. Além disso, Jônatas despiu-se da túnica sem mangas que usava e a deu a Davi, e também suas vestes, e até mesmo sua espada, e seu arco, e seu cinto.
I Samuel 19:1-7
I Samuel 20:1-43
Quando Davi estava sendo perseguido - v.41-42: 
Davi saiu então detrás da colina, lançou-se com o rosto por terra
e curvou-se três vezes; e começaram a beijar-se um ao outro e a chorar um pelo outro . E Jônatas disse a Davi:
'Vai em paz. Quanto ao juramento que nós dois fizemos no nome do Senhor, que o Senhor seja testemunha entre mim e ti, e entre
a minha descendência e a tua.'
I Samuel 23:16-18
II Samuel 1:26
Do lamento de Davi na morte de Jônatas: 'Tenho o coração apertado por tua causa, meu irmão Jônatas. Tu me eras imensamente querido. Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres.'                                "

Mais uma vez vemos o quanto a Bíblia é controversa e ela própria se contradiz. Minha opinião sobre a Bíblia é a seguinte: Trata-se de um livro de história e literatura fantástico. Encontramos ali histórias, mitos e conhecimentos muito ricos e interessantes. No entanto, bem sabemos que ela foi escrita por homens. Homens  que viveram há dois mil e onze anos atrás. Homens cheios de defeitos, medos, ignorâncias. E só porque algum homossexual frustrado ou homofóbio mal amado tenha escrito que é pecado dois homens se amarem e deitarem-se juntos, leva-se isso ao pé da letra? Por acaso Hitler não publicou também um livro que continha conceitos absurdos, insanos e malígnos e durante mais de uma década a sociedade alemã os tomou como verdade? Qualquer um pode escrever o que quiser. Eu mesmo posso começar a escrever um livro onde exponho tudo que acho certo na sociedade e o que acho errado. Se este livro se mantém e daqui alguns séculos algum maluco o encontra e o toma como verdade absoluta, "verdade divina", acontecerá o mesmo que aconteceu com a Bíblia. Vivemos no século XXI e admitir que um livro velho, cheio de preconceito seja visto como "arauto" de leis para a sociedade, é realmente algo depreciativo, é um atentado a inteligência e aos avanços das ciências. 
Aceitemos de uma vez por todas que as mulheres nunca deveriam ter tido menos direitos que os homens, que sempre existiram e existirão para todo o sempre homossexuais. Na Grécia, em Roma e em muitas sociedades antigas a homossexualidade era vista como algo comum. Reis se casavam com homens, haviam exércitos de homossexuais. O próprio Alexandre Magno mantinha um  relacionamento sexual e amoroso com seu parceiro Hefestion. Na verdade, era mais do que natural os soldados na antiguidade possuírem um companheiro de guerra, com quem dormiam e mantinham relacionamentos sexuais. O próprio Aquiles no mito original de Tróia possui o seu companheiro, Pátroclo. O que nas traduções do mito posteriores ao cristianismo é modificado, onde diz-se, falsamente, que Pátroclo era apenas amigo de Aquiles. Enfim, não faltam exemplos de homossexuais na História. O próprio Platão dizia que não há amor maior do que o sentido por dois homens. A culpa por terem transformado a homossexualidade em pecado se deve a um nobre insano e infeliz que se chamava Constantino. Muitos dizem que o Cristiniamos é quem condena a homossexualidade, mas não é verdade. Até porque existe uma diferença drástica entre o verdadeiro cristianismo e o que os romanos criaram e resolveram dar a alcunha de "cristianismo". A Igreja Católica nunca foi cristã e continua a não o ser. Assim como as igrejas evangélicas que se acham no direito de julgar as pessoas e colocar palavras falsas na boca de Jesus. 


Felizmente, as mentes sãs deste mundo ainda perduram e estão aí para desencobrir as verdades escondidas pela Igreja e pelos preconceituosos. Graças a estas pessoas, conhecemos a verdade. E a hsitória do Rei de David e de Jônatas é uma dentre tantas outras que foram usurpadas e modificadas.



São Baco e São Sérgio, ambos soldados romanos que eram homossexuais
assumidos e declaravam seu amor publicamente, por isso foram
mortos em praça pública, sendo arrastados por bigas.
A Igreja Ortodoxa os canonizou.

Veja mais em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário