Orpheus, de Franz Stuck

segunda-feira, 6 de junho de 2011

No Night Is too Long

   

    Báh! Não existe melhor expressão para o quê  eu estou sentindo,"Báh!" Qualquer pessoa que tenha nascido no sul do Brasil reconhece esta expressão, rs. Ficaria melhor se eu dissesse: "Báh, puta que pariu!" 
     Mas tudo isso para me referir a um filme que acabei de assistir... Confesso, "Ainda estou em choque". O filme chama-se "No Nigth Is to Long" e o encontrei em um site que disponibiliza somente filmes com temática GLS. A melhor tradução do título do filme em português seria: "Nenhuma noite é muito longa", acho que o título traduz exatamente aquilo que sentimos quando chegamos ao fim deste filme... O filme realmente me chocou, gente! Primeiro porque possui um ator lindo, Lee Willams. As cenas de sexo entre Tom Conish e Ivo, seu namorado, são muito boas! E ver Lee Willams completamente nu é realmente algo capaz de deixar qualquer um com água na boca ( perdoem as palavras, mas não farei a "Sandy" aqui).
      Acabei descobrindo que o filme é baseado em um romance de mesmo nome, escrito pela britânica Ruth Rendell que assume um pseudonimo de "Barbara Vine". Vou procurar ler o livro com certeza! Parece-me que o livro segue a mesma linha que Mary Shelley em Frankenstein, isto é, possui vários narradores. O narrador principal é Tim Conish, um jovem estudante de literatura inglesa que fala sobre sua vida, suas culpas... O jovem Tim ficou perfeito na pele de Lee Willams, perfeito! O filme possui uma mescla de "horror" com "erotismo". É um filme erótico, um filme que fala de assassinatos, que fala de sexo, sexo homossexual e sexo heterossexual, um filme que fala de culpas, de Amor. Não contive minhas lágrimas no desfecho ( que não vos contarei, claro).      Tim é a representação do ser humano que se ve completamente dominado por suas paixões, que é indeciso, inseguro, mas tem um coração puro e ainda inocente... Eu me identifiquei com Tim Conish, se pudesse, teria o abraçado e enxugado as lágrimas que fugiam dos seus lindos olhos verdes... 

C'est la vie! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário