Orpheus, de Franz Stuck

sexta-feira, 24 de junho de 2011

O Brasil é mais Gay do que evangélico?

     




       Hoje li algo que contribuiu para minha felicidade, haha! Uma amiga, muito querida por sinal, postou em seu facebook um link com o título: "São Paulo é mais gay ou evangélica?"

Este é o link da reportagem na Folha.com:



Trata-se de uma reportagem que saiu na Folha de São Paulo hoje, 24/06/2011, escrita por Gilberto Dimenstein. Na reportagem, Gilberto discute as diferenças que existem entre a parada Gay e a "parada evangélica" que ocorrem praticamente no mesmo período em São Paulo. A frase marcante da reportagem é: 

   "Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (...) Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade."

      Gilberto continua, dizendo que os gays usam a alegria em suas manifestações para lutar pelos seus direitos, enquanto os evangélicos usam o ódio e a raiva, eu diria mais: Os evangélicos usam e abusam da ignorância alheia, promovem homofobia e contribuem para um Brasil atrasado, preconceituoso,  retrogrado e desigual. Para mim, os evangélicos querem a desigualdade suprema, totalitarismo, querem impor suas crenças, suas mentiras, seus devaneios e calar de todo o modo aqueles que lutam pela democracia, pelos direitos humanos, pela igualdade, pelo respeito a todos. Esta reportagem da Folha de São Paulo merece os aplausos de todos que vivem em São Paulo, de todos os brasileiros e todos aqueles que desejam e lutam por um Brasil ( e um mundo também) mais justo e menos preconceituoso. 
       O Brasil, pouco a pouco, mostra que ignora o conservadorismo e este fundamentalismo religioso. É um processo lento, já que as coisas não acontecem da noite para o dia. Mas quando que íamos imaginar que o STF se manifestaria a favor da civil União Homoafetiva? Foi um grande avanço. O projeto de Lei PL122/2006 vai ser aprovado, cedo ou tarde, nem que demore dez anos, a espera que o tempo se desfaça dessa geração de velhos preconceituosos que revelam pensamentos da ditadura militar. Tenho fé nas gerações futuras e acho que a homoafetividade não é mais tabu, os gays são cada vez mais assumidos, saem nas ruas, gritam e cantam na cara do preconceito nas Paradas Gays de todo o Brasil. Os grandes centros urbanos, São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, Fortaleza, mostram que o preconceito está fora de moda, os gays, as lésbicas, os travestis saem nas ruas, beijam, andam de mãos dadas, mesmo que corram riscos, não temem de ser quem são. Não tenho contra religião nenhuma. Cada pessoa acredita naquilo quer, pensa o quer, mas ninguém, ninguém, tem o direito de discriminar, de atacar, de privar pessoas dos seus direitos legais que a constituição promete. Religião não tem mais nada a ver com Legislação. Não estamos mais nos tempos de Moisés, onde os homens eram guiados cegos da razão, sem questionamentos! Não estamos mais na idade média, onde quem não acreditasse nos paradigmas da santa igreja eram queimados nas praças da Inquisição. 

" Por trás da parada gay, não há esquemas políticos nem partidários. Na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, basta ver o número de políticos no desfile em posição de liderança. Isso para não falar de muitos personagens que, se não têm contas a acertas com Deus, certamente têm com a Justiça dos mortais, acusados de fraudes financeiras."

       O mais revoltante é que todos sabem que estes políticos fundamentalistas que atacam os gays são na verdade, na maioria dos casos, homens com milhares de processos e acusações, com indícios de corrupção! Até quando as pessoas vão continuar elegendo estes homens? Até quando haverão pessoas que preferem um Brasil desigual, preconceituoso, perigoso, um Brasil que mata todos os dias milhares de gays, lésbicas, travestis... Milhares de pessoas mortas, assassinadas... Sem falar naquelas que se suicidam todos os dias, que tiram suas vidas porque tiveram sua autoestima mutilada, destruída pelo ódio, pela intolerância, pela falta de compaixão! Isso é ser cristão, meus caros evangélicos? Ser cristão é odiar, xingar, atacar verbalmente pessoas na televisão, inventar calúnias, privar pessoas de seus direitos, promover a raiva e o preconceito que destrói vidas? É isso? Jesus alguma vez em suas palavras defende o ódio, a raiva, a falta de compaixão, a desigualdade, a crueldade? Não, a vossa filosofia não é a filosofia de Cristo. A vossa Filosofia é a filosofia do medo, do medo da democracia e dos direitos civis, do amor sem barreiras, é o medo da felicidade alheia, é o medo de ver um Brasil e um  mundo onde as pessoas caminhem e pensem desligados de livros que lhes ditam regras sem fundamentos, o vosso medo é o medo de perder o controle, é o medo dos fracos, dos covardes, daqueles que não se aceitam e não permitem que os outros o façam. Se querem ser preconceituosos e manter ideais que só lhes fazem vítimas da cólera, pois bem, façam isso! Mas não podem e não têm o direito de atacar, de discriminar, de julgar. Fechem-se em seus templos, em suas redomas de vidro e gritem seus hinos, suas farsas, mas fechem-se, poupem o mundo da vossa infelicidade, da vossa amargura! O mundo merece mais, muito mais e acreditem, não está  longe o dia em que vocês não serão mais ouvidos, o seu preconceito será vencido pela lei, pela democracia, pelos direitos humanos.  

      Termino com as palavras de Gilberto Dimenstein:

"(...) prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres. Inclusive os evangélicos.
Civilidade é a diversidade. São Paulo, portanto, é mais gay do que evangélica"

       E completo: O Brasil nada tem a ver com a amargura dos evangélicos preconceituosos, nada tem a ver com a raiva e a infelicidade dessas pessoas, com todas as dificuldades, somos um país feliz, portanto,"


"O Brasil é mais gay do que evangélico.







Charles Atlantis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário