Orpheus, de Franz Stuck

domingo, 10 de junho de 2012

Sabiá


Quem pára
para ouvir o Sabiá
e seu canto triste
toando saudade?

Só o menino triste
da rua de baixo,
que passa quieto,
com as mãos nos bolsos,
a olhar para cima.

Os seus olhos rasos
até dão lugar a um sorriso
- o Sabiá canta o que ele sente no peito.
Nem vai compor versos naquela noite.

«Sou igual a um sabiá
Que quando canta é só tristeza...»



Nenhum comentário:

Postar um comentário