Orpheus, de Franz Stuck

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Alguém suficientemente...




Alguém que me encante,
alguém que não só beije minha boca,
mas que faça dela uma código de amor.
Alguém que mais do que tocar meu corpo,
seja suficientemente homem para me fazer gozar,
mas gozar de paixão.

Alguém que seja melindrosamente esperto,
que saiba rir quando eu digo alguma besteira,
corrigir-me quando eu não tenho razão.

Alguém suficientemente corajoso para me dizer "Eu te amo",
suficientemente ousado para me desafiar,
suficientemente carinhoso para não me fazer querer mais,
 em outros.
Suficientemente seguro para pular o muro comigo,
suficientemente maduro para segurar minha mão e dizer
"ainda não é a hora".

Suficientemente humano para me perdoar,
suficientemente arrogante para que não sejamos
vencidos pelo  acaso.
Suficientemente vaidoso e
suficientemente bonito
para que eu perca longo tempo olhando-o
enquanto dorme.
Suficientemente inteligente
para que possamos gastar horas filosofando,
suficientemente humilde para permitir que
 o silêncio nos salve, as vezes,
 e nos diga coisas
que só ele diz.

Suficientemente  amante para que
não sejamos vítimas da rotina.
Suficientemente ciumento
para que possa sempre reconquistá-lo e provar meu amor.
Suficientemente apaixonado para que sejamos
sempre namorados.
Suficientemente paciente para saber me esperar,
suficientemente cúmplice para que sejamos
companheiros.

E suficientemente capaz de amar
as minhas qualidades,
os meus defeitos,
 e se estes últimos forem prejudiciais,
que seja suficientemente convincente
para me convencer a mudá-los.

Ou seja,
alguém suficientemente capaz de ocupar
meu coração sem fazê-lo transbordar,
suficientemente...
Alguém que eu ame suficientemente
para dizer todos os dias,
Eu te amo,
suficientemente,
para me amar,
te amar,
nos amar.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Today I feel the mood...


" Today I feel the mood
And I don't feel like talking oh ho a waha
I wasn't ready to lose you
You're the first man to move me, yeah
You help me feel alive
Got me up from 9 til 5, oh ho a waha
I could get through those days
With you on my mind, yeah
(...)
 I saved my last dance for you
My friend.... "

Trecho da música "The Last Dance" da cantora inglesa Clare Maguire.





terça-feira, 28 de junho de 2011

Pessoas e músicas.



Essa música simplesmente me faz flutuar. 
Me faz sentir leve, me enche de poesia. 
Me trás algumas lembranças, 
me lembra uma pessoa, em especial. 
As coisas na vida são assim, 
vivemos e vamos montando lembranças,
 ligando pessoas a músicas, filmes... 
Ligando dias a cheiros, 
noites em companhias, estrelas em olhos....




La valse d'Amelie - Versão Orchestre: 





Guarda-roupa.



Rapunzel,
sem tranças,
nesta triste e calada noite,
subiu a torre mais alta,
trancou-se dentro do guarda-roupa,
e ouviu a canção mais triste.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Florianópolis lidera ranking gay das capitais

    


       Aaaaaai, eu amei essa figura da ponte Hercílio Luz com todas essas cores! Sabem porquê? Por que Floripa é simplesmente colorida, GAY! Eu sempre disse: "Floripa é a cidade mais gay do Brasil". Sempre soube, minha gente. Em nenhum lugar vi tantos gays, tantos jovens assumidos, casais homossexuais se beijando na rua, na praça... Não tem jeito, Floripa é capital mais colorida, mas tolerante, mais QUEER. Os níveis de tolerância são muito altos comparados com outras capitais. Acho que não mentem que no sul do Brasil tem mais gays e temos que levantar essa bandeira bem alto! O sul parece ser o lugar mais seguro para os gays e porque não o mais feliz? É o que diz a nova pesquisa do Censo Demográfico Nacional,a notícia foi publicada no dia 25 de junho de 2011 no Estadão São Paulo on-line. Confiram: 


http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/florian%C3%B3polis-lidera-ranking-gay-das-capitais-1


Trechos: 


'Existe o fenômeno do gay que vem das pequenas cidades de Santa Catarina, mas Floripa é conhecida como a cidade mais 'gay friendly' do País. Tem gente que vem de Porto Alegre, de São Paulo e até de outros locais do mundo'


'O índice de violência homofóbica em Florianópolis é quase zero. E isso também acontece em outros pontos com maior concentração de gays e lésbicas do Estado, como Balneário Camboriú, no litoral norte, e Criciúma, cidade próxima das praias do litoral sul.'


Floripa é uma das poucas cidades brasileiras que possui uma lei municipal que prevê multa para quem insultar homossexuais... É, bixarada, o jeito é correr para o sul... O sul é bom, o sul é quente, o sul é alegre, o sul é gay!


Beijooos, não vejo a hora de voltar para Floripa, cansando da Europa, viu! Mas eu volto, logo volto, hahaha.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

O Brasil é mais Gay do que evangélico?

     




       Hoje li algo que contribuiu para minha felicidade, haha! Uma amiga, muito querida por sinal, postou em seu facebook um link com o título: "São Paulo é mais gay ou evangélica?"

Este é o link da reportagem na Folha.com:



Trata-se de uma reportagem que saiu na Folha de São Paulo hoje, 24/06/2011, escrita por Gilberto Dimenstein. Na reportagem, Gilberto discute as diferenças que existem entre a parada Gay e a "parada evangélica" que ocorrem praticamente no mesmo período em São Paulo. A frase marcante da reportagem é: 

   "Os gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados. Já a parada evangélica não respeita os direitos dos gays (...) Ou seja, quer uma sociedade com menos direitos e menos diversidade."

      Gilberto continua, dizendo que os gays usam a alegria em suas manifestações para lutar pelos seus direitos, enquanto os evangélicos usam o ódio e a raiva, eu diria mais: Os evangélicos usam e abusam da ignorância alheia, promovem homofobia e contribuem para um Brasil atrasado, preconceituoso,  retrogrado e desigual. Para mim, os evangélicos querem a desigualdade suprema, totalitarismo, querem impor suas crenças, suas mentiras, seus devaneios e calar de todo o modo aqueles que lutam pela democracia, pelos direitos humanos, pela igualdade, pelo respeito a todos. Esta reportagem da Folha de São Paulo merece os aplausos de todos que vivem em São Paulo, de todos os brasileiros e todos aqueles que desejam e lutam por um Brasil ( e um mundo também) mais justo e menos preconceituoso. 
       O Brasil, pouco a pouco, mostra que ignora o conservadorismo e este fundamentalismo religioso. É um processo lento, já que as coisas não acontecem da noite para o dia. Mas quando que íamos imaginar que o STF se manifestaria a favor da civil União Homoafetiva? Foi um grande avanço. O projeto de Lei PL122/2006 vai ser aprovado, cedo ou tarde, nem que demore dez anos, a espera que o tempo se desfaça dessa geração de velhos preconceituosos que revelam pensamentos da ditadura militar. Tenho fé nas gerações futuras e acho que a homoafetividade não é mais tabu, os gays são cada vez mais assumidos, saem nas ruas, gritam e cantam na cara do preconceito nas Paradas Gays de todo o Brasil. Os grandes centros urbanos, São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, Fortaleza, mostram que o preconceito está fora de moda, os gays, as lésbicas, os travestis saem nas ruas, beijam, andam de mãos dadas, mesmo que corram riscos, não temem de ser quem são. Não tenho contra religião nenhuma. Cada pessoa acredita naquilo quer, pensa o quer, mas ninguém, ninguém, tem o direito de discriminar, de atacar, de privar pessoas dos seus direitos legais que a constituição promete. Religião não tem mais nada a ver com Legislação. Não estamos mais nos tempos de Moisés, onde os homens eram guiados cegos da razão, sem questionamentos! Não estamos mais na idade média, onde quem não acreditasse nos paradigmas da santa igreja eram queimados nas praças da Inquisição. 

" Por trás da parada gay, não há esquemas políticos nem partidários. Na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, basta ver o número de políticos no desfile em posição de liderança. Isso para não falar de muitos personagens que, se não têm contas a acertas com Deus, certamente têm com a Justiça dos mortais, acusados de fraudes financeiras."

       O mais revoltante é que todos sabem que estes políticos fundamentalistas que atacam os gays são na verdade, na maioria dos casos, homens com milhares de processos e acusações, com indícios de corrupção! Até quando as pessoas vão continuar elegendo estes homens? Até quando haverão pessoas que preferem um Brasil desigual, preconceituoso, perigoso, um Brasil que mata todos os dias milhares de gays, lésbicas, travestis... Milhares de pessoas mortas, assassinadas... Sem falar naquelas que se suicidam todos os dias, que tiram suas vidas porque tiveram sua autoestima mutilada, destruída pelo ódio, pela intolerância, pela falta de compaixão! Isso é ser cristão, meus caros evangélicos? Ser cristão é odiar, xingar, atacar verbalmente pessoas na televisão, inventar calúnias, privar pessoas de seus direitos, promover a raiva e o preconceito que destrói vidas? É isso? Jesus alguma vez em suas palavras defende o ódio, a raiva, a falta de compaixão, a desigualdade, a crueldade? Não, a vossa filosofia não é a filosofia de Cristo. A vossa Filosofia é a filosofia do medo, do medo da democracia e dos direitos civis, do amor sem barreiras, é o medo da felicidade alheia, é o medo de ver um Brasil e um  mundo onde as pessoas caminhem e pensem desligados de livros que lhes ditam regras sem fundamentos, o vosso medo é o medo de perder o controle, é o medo dos fracos, dos covardes, daqueles que não se aceitam e não permitem que os outros o façam. Se querem ser preconceituosos e manter ideais que só lhes fazem vítimas da cólera, pois bem, façam isso! Mas não podem e não têm o direito de atacar, de discriminar, de julgar. Fechem-se em seus templos, em suas redomas de vidro e gritem seus hinos, suas farsas, mas fechem-se, poupem o mundo da vossa infelicidade, da vossa amargura! O mundo merece mais, muito mais e acreditem, não está  longe o dia em que vocês não serão mais ouvidos, o seu preconceito será vencido pela lei, pela democracia, pelos direitos humanos.  

      Termino com as palavras de Gilberto Dimenstein:

"(...) prefiro a alegria dos gays que querem que todos sejam alegres. Inclusive os evangélicos.
Civilidade é a diversidade. São Paulo, portanto, é mais gay do que evangélica"

       E completo: O Brasil nada tem a ver com a amargura dos evangélicos preconceituosos, nada tem a ver com a raiva e a infelicidade dessas pessoas, com todas as dificuldades, somos um país feliz, portanto,"


"O Brasil é mais gay do que evangélico.







Charles Atlantis.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Sinal fechado



Ando desencantado,
calado,
metido comigo,
sem dizer muito,
somente o que não dói.
Ando passeando,
no parque,
na beira do rio,
com os pensamentos distantes,
apáticos,
embora,
as canções que ouço só me lembrem nostalgia,
cantando sobre amores platônicos,
corações partidos, sem nada, no vacuo...
É difícil sair deste mar de melancolia...
Meu coração já não voa tão alto,
ando desencantado,
as esperanças tornam-se medíocres.
Apaixonar-se talvez fosse uma solução,
mas o sinal parece estar fechado todo o tempo,
não há direito ao caminho, ao prosseguir,
aos dias mais primaveris,
minha alma continua no inverno,
a gelar-se,
sem encanto.
A dores da última paixão ainda latejam,
ainda sobrevivem,
persistem e fazem-me prisioneiro da neve.
Ando desencantado,
sem direito ao caminho,
o sinal continua fechado.

Te necesito - Pablo Neruda









Aún no estoy preparado para no tenerte
y sólo recordarte...
Aún no estoy preparado para no poder oírte
o no poder hablarte,

no estoy preparado para que no me abracesy para no poder abrazarte.

Aún te necesito
y aún no estoy preparado para caminar
por el mundo preguntándome ¿por qué?
No estoy preparado hoy ni nunca lo estaré.

Te necesito.






Pablo Neruda



FUCK YOU


     Essa vai para todos os bolsonaros e silas malafaias, escrotos preconceituosos que você encontra eventualmente:  







quarta-feira, 22 de junho de 2011

Born This Way - Nasci assim

      Lady Gaga tem todo o mérito da música "Born this way", claro. Mas, "meu" (como diriam os paulistas), Sam Tsui arrasou na interpretação dele. Okay, eu sou declaradamente um fã do garoto, I know... But, I think he's fantastic! Além de cantar maravilhosamente bem, o garoto é lindo, tem um charme... Ow, my God! Fico encatado quando o vejo cantar... Ok, call me a fag dreamy!

       Particularmente, gosto muito dessa música da Lady Gaga, gosto da letra e da mensagem. Acho bacana essa idéia: "I was born this way, hey! / I 'm on the right track, baby". Lady Gaga está contribuindo, sem dúvida, para o combate do preconceito e aceitação da diversidade, mesmo que suas músicas sejam comerciais. 
         Já falei demais...  Ouçam o meu, o seu, o nosso e de todo mundo, Sam Tsui, cantando "Born This Way". Só mais uma coisa! O sorriso dele é lindo, né? Reparem na boca dele enquanto ele canta (dica!). 


"...Ooo, there ain't no other way
Baby, I was born this way..."





"The only exception" - Você é a única exceção

      Esta é uma canção que me toca profundamente, gosto de ouvi-la quando estou triste, costuma me fazer bem, alivia meu coração.


     
     Disponibilizo para vocês também a versão cantada  por Sam Tsui (cover). Acho que ficou muito interessante na voz dele e gosto porque, geralmente, Sam canta músicas cantadas por mulheres, fornecendo uma interpretação masculina da canção. Enfim, isso tem a ver com Aristóteles e sua teoria da "verosimilhança".




                            


       Curtam as músicas, gente.
        Beijinhos. 

domingo, 19 de junho de 2011

Há Mistérios em tudo isso?



Eu estou sozinho,
perdido em um vale,
onde não há ninguém,
minha poesia não é mais que ecos,
minha voz não sai,
meus olhos inchados,
só me dizem,
que estou só,
só em um vale do nada,
onde não há dia,
só noite,
só noite.
O pranto já não é mais que quotidiano,
é a companhia desconsolada,
que veste negro e empunha a foice da solidão.
Há mistérios em tudo isso?
Eu não sei...
Me sinto só,
cantando sem que me ouçam,
chorando sem que se importem,
só,
em um vale do nada.
Há Mistérios em tudo isso?
Ouço, as vezes,
um bater de asas,
e penso,
por vezes,
que são anjos.
Mas eles não passam por mim,
não ouvem ou ignoram o meu pranto,
eles passam,
voam para um deus imaginário,
gritando Aleluia, Aleluia...



sexta-feira, 17 de junho de 2011

The scientist - Me leve de volta para o começo.


Esta música da banda Coldplay tem o poder de me deixar extremamente melancólico ( mais ), além disso desperta tantos sentimentos, me vejo transportado para um tempo distante, quando a esperança era grande e o amor era jovem. Desfrutem...




"... Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start..."



As paixões passageiras - As-tu déjà aimé?

      As paixões passageiras, as vezes, são aquelas que nos mais marcam... Em homenagem a este momento, que não deixa de ser nostálgico, posto essa canção do filme "Les chansons d'amour", intitulada "As-tu déjà aimé?", composta por Alex Beaupain. 



quarta-feira, 15 de junho de 2011

Les chansons d'amour - As canções do amor

    Os deuses me deram uma curiosidade ousada e uma determinação inabalável. Não descanso até encontrar e descobrir o quê quero. Nesta semana, eu fiquei intrigado com um vídeo que achei no youtube. Eu postei o vídeo aqui no dia 12 de junho, dia dos namorados no Brasil. Achei o vídeo tão fofo e lindo que precisava descobrir de onde havia sido retirado e precisava descobrir se tratava-se de algum filme. Minha intuição estava certa, trata-se de uma cena de um filme francês, "Les chansons d'amour". A cena que assisti primeiramente é esta a abaixo, embora agora disponibilize uma versão com legendas em português: 


     
     Acabei tendo que assistir o filme. Mal posso descrever o meu encanto... Tudo bem, sou suspeito, filmes com temática gay, geralmente, me encantam. "Les chansons d'amour" é um filme que exala muita tristeza, melancolia é a palavra certa, pois se passa no auge do inverno parisiense. 
     O filme é um musical, mas somente nas cenas mais importantes é que os diálogos são substituídos por canções. Achei fabuloso! 
    Aí vai uma breve sinopse: Ismael, o personagem principal, vive um impasse afetivo. Apaixonado pela namorada, Julie (Ludivine Sagnier), tem de dividi-la com Alice (Clotilde Hesme). O triângulo amoroso sofrerá uma ruptura na primeira parte do roteiro - em outras duas serão abordados a ausência do amor e o recomeço da paixão, agora entre dois homens, Ismael e Ewam. 
    O filme foi lançado em maio de 2007 e foi selecionado na composição do Cannes 2007.Foi ainda indicado para quatro categorias para o Cinema Cesars 2008 e ganhou o César de melhor filme-musical.  Christophe Honoré foi quem dirigiu o filme e desde o início fica clara a relação estabelecida com um musical clássico do cinema francês, " Guarda-chuvas do Amor". O filme conta uma história romântica, onde as tonalidades GLS ganham força ao longo do filme, chegando ao ápice no desfecho. 
      Para fechar este post com chave de ouro, disponibilizo mais uma parte do filme ( alertando que trata-se de spoiler e se você não gosta de saber finais de filmes, não veja este vídeo. Reassista depois, se preferir. De qualquer forma, voce vai querer rever o filme e escutar a trilha sonora que é magnífica.






Termino este "post" com uma frase do romance Victor Hugo, "Os miseráveis":

"As coisas são negras, as criaturas são opacas. Amar um ser é torná-lo transparente."



Comercial de Proteção Sexual - Protect Yourself

Assisti este comercial há uns dois anos. Lembrei-me agora de postá-lo aqui:




segunda-feira, 13 de junho de 2011

The Big Gay Musical ( O Grande Musical Gay)



    Para quem curte musicais e está a fim de ver lindos homens se beijando, dançando, cantando e etc, este filme é a "pedida" da noite! 

    "The Big Gay Musical" ( O Grande Musical Gay) é um filme lançado em 2009, escrito por Fred M. Caruso, dirigido por Casper Andreas e distribuído pela Embrem Entreteniment. 
   O filme trata de um grande musical gay que está sendo produzido na "off broadway", intitulado "Adam e Stive, como Deus os fez". Os personagens principais do filme são Eddie (Joey Dudding) e Paul ( Daniel Robinson). Eddie é um rapaz inexperiente, não assumido para os pais e que está começando a conhecer o "mundo gay". Paul é um jovem sonhador e romantico, que deseja encontrar o homem certo, aquele que o ame e deseje construir uma família. 
     Paul vai enfrentar dificuldades e, desiludido com a vida, resolve abandonar seu romantismo e ser aquilo que seus amigos chamam de "puta", ou seja, apenas aproveitar e transar com todos os caras, sem pretensões de namoro ou algo sério. Mas, Paul não demora para descobrir que sua alma é completamente romântica e que mais do que sexo, ele deseja um parceiro, alguém que durma abraçado com ele, que o ame. 
     O drama de Eddie consiste na relação com os pais, que são extremamente religiosos e não sabem de sua homossexualidade. O mundo de Eddie cai quando os pais prometem ir assistir o musical estrelado pelo filho. Aconselhado por Paul, Eddie conta a verdade aos pais antes da estréia do musical e eles não reagem bem no início. Eddie se vê ainda confuso em relação aos garotos, assim como Paul, deseja encontrar alguém que o ame, mas logo descobre que isso não é algo tão fácil. 

     "The Big Gay Musical" é um filme que encanta, que diverte e que transmite uma mensagem de aceitação e combate ao preconceito. Não dá para não falar da arte do filme, que é maravilhosa... As músicas e as coreografias são ótimas... Uma das partes que mais gostei foi quando Adam e Stive, interpretados por Paul e Eddie, respectivamente, dançam ballet. É tão meigo, sensível e belo... Foi sublime! 
      Todos aqueles que apreciam música, dança e interessam-se pela temática GLBT encontrarão em "The Big Gay Musical" uma ótima forma de saciarem seus desejos artísticos e poéticos. E claro, não faltam momentos de descontração e comédia. É um filme para gays, para pessoas sem preconceito, um filme para pessoas românticas, um filme para quem esteja disposto a flutuar em uma dimensão mais leve, brilhante, colorida... E ainda, um filme para quem está cansado de preconceito, de ignorância, de desrespeito... Pois é essa uma das principais mensagens, "Respeito e Igualdade".  O filme, sem dúvida, faz uma crítica dura aos aos religiosos que condenam e julgam os homossexuais, esquecendo que a principal mensagem de Jesus era o amor e o respeito. E claro, há a crítica ao fanatismo e ao fato de muitas pessoas acreditarem em tudo que está escrito na bíblia, sendo esta um livro escrito e interpretado pelos homens.  Por fim, é um filme de Amor e isso diz respeito a todos, diz a respeito a nós seres humanos e para quem acredita nele, diz respeito a Deus. 







                                     







Veja ainda o trailer oficial:  


                                                        


O mundo é colorido e não preto em branco. Limpe seus óculos. 
#Respeito e Lei para todos. 





domingo, 12 de junho de 2011

Prayers for Bobby (Orações para Bobby)


    Eu tenho uma mania estranha. Quando estou triste, preciso ver algo triste, sentir uma espécie de catarse. Depois de chorar "rios", fico melhor. O filme "Prayers for Bobby" me comove muito, não consigo controlar as lágrimas, choro sempre. É uma história e tanto! Um filme importantíssimo no combate contra a homofobia e na conscientização de gays e seus familiares. Já postei em outras ocasiões sobre este filme, mas acho que é sempre bom reforçar... Se você ainda não assistiu, faça isso logo! A atuação de Sigourney Weaver é extraordinária! A história de Bobby é a história de muitos... O filme é baseado em uma história verídica. 
     A baixo, segue um trecho do filme, quando Mary Griffirt, interpretada por Sigourney, fala na televisão sobre sua dor, a morte Bobby, e o quê a ignorância, o preconceito e medo da palavra "gay" podem causar. É comovente. 




O dia do silêncio.






Hoje é aquele dia em que me escondo,
me escondo,
sob a luz de um candeia calada,
que pouco revela,
e ilumina apenas minha face,
que chora.
Guardo-me na melancolia,
recolho-me em escuridão,
de baixo da mesa,
longe dos olhos,
longe de todos,
longe.
Hoje é o dia em que eu me reservo ao silêncio,
me reservo às lembranças,
e para elas confesso minhas lágrimas,
à elas não consigo mentir,
e desfiro todo o meu prato,
soluço,
mergulhado em nostalgia,
em desespero.
Mas ao fim da noite,
quando a luz da candeia ofuscar-se
perante a luz do sol,
eu me levantarei,
abandonarei as sombras,
regressarei ao mundo dos poucos,
em silêncio,
com o pranto calado,
e as lembranças trancadas,
trancadas no cofre da solidão.
Sentirei no peito,
maior alívio,
quando chegar o fim,
o fim do dia do silêncio.

Já que é dia dos namorados...


       Já que é dia dos namorados, irei fazer uma seleção de vídeos que  têm tudo a ver com este clima... O primeiro vídeo  eu assisti há alguns dias, o encontrei na arca mágica do "youtube" e amei. Além de ser super fofo os dois garotos em clima de romance, um deles canta em francês! Não preciso dizer que morri de inveja do loirinho, né? Divirtam-se....





O segundo vídeo eu já postei neste blog, mas já faz muito tempo... Vou repostá-lo. É uma das cenas da série "Queer as folk" que mais amo!


E para terminar, aí vai a cena de uma novela alemã que fez muito sucesso. Acho a música do clipe muito boa, exprime exatamente os sentimentos que os dois rapazes parecem ter um para com o outro...


                                                                

E assim, 

"Feliz dia dos namorados"

Se você tem alguém, desejo que tenha um dia cheio de amor e  que este" seja eterno enquanto dure". Se você não tem alguém, apenas desfrute do dia com alegria e não deixe de sonhar, "ele" está por aí e pode aparecer a qualquer hora!

sábado, 11 de junho de 2011

Coração de molho.



Meu coração,
ele está de molho,
erguido ao vento,
pedindo silêncio.
Está de molho em um copo com água,
pedindo silêncio,
até que seja capaz de cantar novamente.

Cupido - Maria Rita



quarta-feira, 8 de junho de 2011

Narciso




As mãos seguram firmes no dorso,
tão firme que a pele branca, macia, se enche de rosa,
as mãos vão deslizando, sozinhas, sem que precisem de permissão,
contemplando o calor do sangue que corre nas veias,
tomando aquele corpo de calores,
diluindo-se em sentidos,
perdendo-se em gemidos,
em toques,
macios,
fortes,
sensíveis,
petulantes,
destemidos e contentes...
Sente,
o prazer pulsar,
pulsa... pulsa... pulsa...
Loucura cheia de razão,
razão perdida na luxúria,
razão que cede ao falo,
o falo sente,
que responde,
gemidos...
Tormenta de imagens,
passado, presente, futuro,
tudo cai aos pés do delírio,
um delírio consciente,
sarcático,
dormente,
satisfatório...
A satisfação da face,
da face que observa o corpo,
de Narciso,
a ser tocado,
apreciado,
desgustado...
Uma boca,
que desce pelas curvas,
que provoca e desmente,
conquista,
que alucina,
que dança,
dança no dorso,
dança,
dança,
daça e pulsa...
Dança, pulsa, provoca... Sobe e desce,
desce, sobe, pulsa... desce... dança... alto... firme... desce,
é quente... Alto como uma torre, em noites sem dias, alto... firme...
a boca... desce... sobe....
Sente... geme...
E foge...
A mente divaga,
divaga para longe,
longe do tempo,
longe de tudo,
tudo morre em Baco,
tudo vive em Baco,
Narciso...
Escorre o mel de Narciso...
Narciso,
...

terça-feira, 7 de junho de 2011

"Jar of Hearts" na voz de Sam Tsui


Eu sei, eu sei... Já postei esta música! Mas eu gosto tanto! E na voz desse garoto ficou linda também, sem contar que ele é lindo e tão fofo... Desfrutem....

Obrigado, Não! ( Rita Lee)

"Legalize o quê não for proibido, recrimine a falta de educação!"

segunda-feira, 6 de junho de 2011

No Night Is too Long

   

    Báh! Não existe melhor expressão para o quê  eu estou sentindo,"Báh!" Qualquer pessoa que tenha nascido no sul do Brasil reconhece esta expressão, rs. Ficaria melhor se eu dissesse: "Báh, puta que pariu!" 
     Mas tudo isso para me referir a um filme que acabei de assistir... Confesso, "Ainda estou em choque". O filme chama-se "No Nigth Is to Long" e o encontrei em um site que disponibiliza somente filmes com temática GLS. A melhor tradução do título do filme em português seria: "Nenhuma noite é muito longa", acho que o título traduz exatamente aquilo que sentimos quando chegamos ao fim deste filme... O filme realmente me chocou, gente! Primeiro porque possui um ator lindo, Lee Willams. As cenas de sexo entre Tom Conish e Ivo, seu namorado, são muito boas! E ver Lee Willams completamente nu é realmente algo capaz de deixar qualquer um com água na boca ( perdoem as palavras, mas não farei a "Sandy" aqui).
      Acabei descobrindo que o filme é baseado em um romance de mesmo nome, escrito pela britânica Ruth Rendell que assume um pseudonimo de "Barbara Vine". Vou procurar ler o livro com certeza! Parece-me que o livro segue a mesma linha que Mary Shelley em Frankenstein, isto é, possui vários narradores. O narrador principal é Tim Conish, um jovem estudante de literatura inglesa que fala sobre sua vida, suas culpas... O jovem Tim ficou perfeito na pele de Lee Willams, perfeito! O filme possui uma mescla de "horror" com "erotismo". É um filme erótico, um filme que fala de assassinatos, que fala de sexo, sexo homossexual e sexo heterossexual, um filme que fala de culpas, de Amor. Não contive minhas lágrimas no desfecho ( que não vos contarei, claro).      Tim é a representação do ser humano que se ve completamente dominado por suas paixões, que é indeciso, inseguro, mas tem um coração puro e ainda inocente... Eu me identifiquei com Tim Conish, se pudesse, teria o abraçado e enxugado as lágrimas que fugiam dos seus lindos olhos verdes... 

C'est la vie! 

domingo, 5 de junho de 2011

Eurídice não morreu.




Orfeu saiu de casa,
cantou até não ter mais voz,
não foi ouvido,
e Eurídice nem estava morto.
Orfeu voltou sozinho e calado.

Rolling in The deep (Adele)

Para todos aqueles que cansaram de sofrer por amor:

Sonhos.




Eu só sei que ainda não te encontrei,
não te conheci,
e te busco nos sonhos,
tentando te abraçar,
tentando transformar-te em verdade. 


Brasas.




Em estado anestésico,
como quem acorda do coma,
nascendo novamente,
resurgindo das cinzas,
ainda sinto as brasas
queimando em baixo dos meus pés,
mas a chuva quer vencê -las,
pouco a pouco.

Jar of hearts (Jarro de coração)


" Quem você pensa que é? Correndo por aí deixando cicatrizes? Coletando um pote de corações?"
( Tradução em potuguês do refrão da música "Jar of Hearts", cantada por Christina Perri) 

Mas vejam ainda a versão cantada pela doce Jane Maddi, uma garota que arrasa:


Simplesmente lindo, nostálgico, ainda choro.

sábado, 4 de junho de 2011

O bobo.



Morre para você,
cavalheiro,
o poeta indulgente.
Morre para você,
pierrot,
o poeta que tanto te chorou nos versos.
Morre para você,
todo o meu altruísmo.

Morre para você, 
a oportunidade de conhecer o meu amor.
Tuas máscaras, todas, já caíram.

Morrem para você,
todas as chances.
E os versos que te fiz,
guarda-os,
conserva-os na arca da mediocridade,
ao menos poderás dizer que um dia,
em um belo e efêmero dia,
houve um poeta,
 um bobo da corte,
que te amou.

Agora,
abandono meu gorro,
te deixo sozinho no salão,
sentado em teu altar de ilusões,
a ouvir palmas de pessoas sem face,
que riem-se da tua parva indecisão.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O primeiro amado.



É engraçado,
chega a ser cômico.
Conversar com você é sempre...
sempre palpitante,
estranho,
mas eu gosto.
Me sinto transportado para a nossa pueril,
inocente e querida adolescência,
nos anos em que,
ainda recém garotos,
meniniços como o tempo nos queria,
passeávamos pelo bosque,
procurando a melhor sombra,
a melhor árvore que nos cobrisse,
que nos escondesse dos olhos dos outros.
E assim,
por horas,
nos entregávamos um ao outro,
entregávamos nossos braços,
rolávamos um sobre o outro,
a sentir em cada dorso,
as mãos ainda leves de dois garotos.
Sem grande receio,
sem grandes expectativas,
dividíamos beijos,
trocávamos carinho,
e as conversas eram longas e sem preocupações.
Foi um verão divertido,
quente,
dias cheios de sorrisos,
de doçura.
E hoje, quando ainda falamos,
separados pelo tempo,
mas também pela distancia do atlântico,
ainda parecemos próximos,
é como se voltássemos a ser aqueles dois de outrora,
cheios de sorrisos contidos,
mas soltos,
e embora com os pudores impostos pelo tempo,
ainda somos aqueles,
que lançam ao ar seus algozes compromissos,
e voltamos para debaixo do eucalipto,
que canta-nos s aos ouvidos,
coisas que só o vento diz,
e que se antes julgávamos adultos,
hoje,
saudamos aqueles dias adolescentes.

Andorinhas











Há dias que prefiro vê-los passar como andorinhas, 
deixo-os partir para o sul,
livres, acompanho-os pela janela, até que desapareçam no céu.

Saudade.




Pensastes demais.
O quê você demora,
é o quê tempo leva,
transforma em lembrança,
consome-se na saudade,
desmaia na ausência,
não se satisfaz nas lágrimas,
cala-se sem voz,
foge,
ganha asas e voa,
adquire outras faces,
torna verdade ilusões,
e morre,
morre nos braços de outro alguém.

Vale a pena assistir. Curta metragem » Homoafetividade



Este pequeno curta metragem é bem simples, feito com atores amadores e sem grandes emoções. Contudo,
a mensagem que ele passa é interessantíssima. Faz-nos pensar no que realmente é ser gay ou bissexual. Achei fantástico o desfecho, prova que duas pessoas do mesmo sexo relacionam-se e sentem o mesmo que heterossexuais. Além disso, o final romântico acabou por me cativar. 






quarta-feira, 1 de junho de 2011

"Memories."

     Para todos aqueles que estão se sentindo saudosos, recordando memórias, lembrando de coisas, de pessoas,de acontecimentos já há muito tempo idos ( ou não), presenteio-os com esta canção do grupo "Within Temptation", umas das minhas bandas favoritas. Abaixo, encontra-se o clipe que está disponível no youtube. 


Candeia.





E ele viu a luz, acreditou que fosse realmente luz... 
Disse olá para ela, 
e recebeu a escuridão como presente.