Orpheus, de Franz Stuck

sábado, 16 de junho de 2012

Poetas



















Ai as almas dos poetas
Não as entende ninguém,
São almas de violeta
Que são poetas também.

Andam perdidas na vida,
Como estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!

Só quem embala no peito
Dores amargas secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas.

E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma para sentir
A dos poetas também!


- Florbela Espanca in Trocando Olhares.


a imagem a cima foi retirada do seguinte endereço eletrônico:

Nenhum comentário:

Postar um comentário