Orpheus, de Franz Stuck

domingo, 23 de janeiro de 2011

Quando assim me olhas





Quando assim me olhas,
com esse olhar meniniço, meigo e ao mesmo tempo,
um olhar firme, um olhar de homem.

Quando assim me olhas,
com seu sorriso tímido, com sua leve contração de sombrancelhas,
com esse pequeno sorriso...

Quando assim me olhas,
me corre uma vontade, um quase impulso,
um leque de desejos a invadir-me o peito, a mente e todo o resto.

Quando assim me olhas,
falando, gesticulando, rindo e tocando-me de leve,
sinto-me arrepiar....

Quando assim me olhas,
meus olhos viajam nos teus e não deixam de reparar,
reparar nessa sua boca, suave e pequena.

Quando assim me olhas,
queria tocar-te de verdade, sentir-te e beijar-te.
Mas, ao que me parece, não percebes nada disso.


domingo, 16 de janeiro de 2011

Menina da Lua.


És a doce donzela, dos olhos meigos,
A que mais me encanta...
Bem sabes, a única.

A menina da lua,
que encanta sem querer encantar.
Que ama sem negar, que sonha sem esconder-se.

És a romântica. Sou o romântico.
És a dama a bailar de vermelho, com a rosa nos lábios
a chamar-me, encantar-me, encher-me de zelos e atenções....

Mas meus olhos lançam-se para o outro lado,
Para o cavalheiro da esquerda, que ginga, que me encara firme.
És o amor sem luxúria, o verdadeiro.
És minha menina da Lua, de brilho inigualável. 

Se os sonhos nos fazem, às vezes,
Tolos...
São eles, ainda, que nos tornam tão próximos,
tão íntimos, a dividirmos o que é só nosso.

Sou o cavalheiro de negro, a dançar sempre para a esquerda. 
És a dama de encarnado, a ostentar o que não pode te ter.
Sou o cavalheiro de negro, que já a tem no altar do coração.


sábado, 15 de janeiro de 2011

A Pessoa Errada - Luís Fernando Veríssimo



Pensando bem, em tudo o que a gente vê, e vivencia, e ouve e pensa, 
não existe uma pessoa certa pra gente 
Existe uma pessoa que, se você for parar pra pensar é,
na verdade, a pessoa errada 
Porque a pessoa certa faz tudo certinho 
Chega na hora certa, 
Fala as coisas certas, 
Faz as coisas certas, 
Mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas 
Aí é a hora de procurar a pessoa errada 
A pessoa errada te faz perder a cabeça 
Fazer loucuras 
Perder a hora 
Morrer de amor 
A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar 
Que é prá na hora que vocês se encontrarem 
A entrega ser muito mais verdadeira
A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa 
Essa pessoa vai te fazer chorar 
Mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas 
Essa pessoa vai tirar seu sono 
Mas vai te dar em troca uma noite de amor inesquecível 
Essa pessoa talvez te magoe
E depois te enche de mimos pedindo seu perdão 
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado 
Mas vai estar 100% da vida dela esperando você 
Vai estar o tempo todo pensando em você 
A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo 
Porque a vida não é certa 
Nada aqui é certo 
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo 
Amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo, querendo, conseguindo 
E só assim é possível chegar àquele momento do dia 
Em que a gente diz: "Graças à Deus deu tudo certo" 
Quando na verdade 
Tudo o que Ele quer 
É que a gente encontre a pessoa errada 
Para que as coisas comecem a realmente funcionar direito prá gente.
Nossa missão:
Compreender o universo de cada ser humano, 
respeitar as diferenças,
brindar as descobertas, 
buscar a evolução.  
Quando a gente acha que tem todas as respostas,
vem a vida e muda todas as perguntas ...  




sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Não almejo as coisas complexas....



Não almejo as coisas complexas, 
não.
Não vislumbro os grandes mistérios,
o enlaces do Cosmo e  as línguas dos profetas,
não.
Não sonho com todas as verdades, 
somente as justas.

Almejo a brisa leve que bate na face,
sim.
Vislumbro o calor das tuas mãos nas minhas,
sim.
Sonho com dias cantados, cheios de sol e teus risos,
sim.

Não quero ser o mais sábio,
não.
Não espero ser o mais forte, 
não.
Não acredito ser o mais merecedor, 
não.

Eu quero saber o necessário para amar,
sim.
Espero ter a força para suportar,
sim.
Mereço aquilo que trabalhei para construir,
sim.

Tudo o que quero é uma casa no campo.
Um verde a toda volta.
Um azul a cobrir-nos, eu e tu.
Um calor a invadir-nos, por dentro e por fora.

Almejo, vislumbro, sonho, quero, acredito e espero
ter-te apenas, 
aqui. 





quarta-feira, 12 de janeiro de 2011



"Lindo... E eu me sinto enfeitiçado, correndo perigo... Seu olhar é simplesmente lindo... Mas também não diz mais nada... Menino bonito! E então, quero olhar você..."


[ Trecho da música "Menino Bonito" de Rita Lee]





"Halrold and Maude" - Lições que a vida não nos nega.



As vezes, quando menos esperamos, a vida nos traz lições valiosas através de coisas muito simples, como um filme, uma música, um poema.... E foi assistindo esse filme que entendi algo muito valioso e bonito. A história do filme recusa sinopse, não vos vou falar sobre isso, é um filme que só entende quem assiste. É incrível como a vida não nos nega oportunidades de aprendizado. "Harold e Maude" é um filme fantástico, que nos faz repensar na vida, nos faz lançar os olhos para coisas tão simples e isentas de complexidade... Nos faz rejuvenescer a alma e acreditar em coisas que julgamos impossíveis. Só lhes digo que reservem lenços para as lágrimas, pois como sempre, eu chorei no fim do filme. Para almas sensíveis e poéticas, este filme é um saboroso deleite.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Na beira do rio, eu sentei e chorei....

Quem nunca sentou na beira de um rio, lago, cachoeira, em algum lugar alto, isolado e não conteve
as lágrimas? Quem nunca deixou as lágrimas invadirem sem medo de alguém os ver ou de olhos curiosos... Quem nunca chorou só pra si e para a natureza? Só para si e o mar, e o rio, e o céu? Quem nunca teve um dia em que saiu pela porta de casa sem saber para onde ir.... Sem rumo e sem destino pré-programado?  Quem nunca desejou tele-transportar-se para a lua, compartilhar a tristeza, a solidão e a dor somente com o brilho sincero das estrelas?



Quem nunca fez isso é porque mente ou não é humano ou pouco amou.




domingo, 9 de janeiro de 2011

Há momentos na vida... (Clarice Lispector)

 

" Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.   "

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Que coisa.




Que coisa.
Que coisa é ter o coração assim.
Que coisa tão... tão...
Que coisa!
Nunca o vi assim, todo rebuliçado
Todo cheio de adornos.
Que coisa.

Nunca o vi assim, o meu coração.
Uma ansiedade presa ao medo
Uma teima desconcertante em teimar,
Teimar o que nem sei se sei.
Algo que se quer defino.

O que sei, Se sei,
é que ele pula quando te vê,
não dorme quando estás longe,
e não se contenta só com a tua presença.
Tem de falar, tem de mostrar, exibido.

Tem ele um não sei quê.
Um... Um ... Qualquer agitação que me incomoda.
Tem ele mais de exibir-se, tem ele,
tem de tocar, mexer, sentir, 
mais que isso,
tem tem tem
um não sei quê!

Talvez seja folga dessa bola vermelha pulsante,
que sendo ninguém acha que pode
dizer este sim, aquele não, outro amanhã
Ela nunca. Você sempre.

Sem você,...................................................................solidão.


Maior dor é ter saudade de algo não vivido, supostamente.
Não vivido na esfera do real momentâneo. Não sentido pelo corpo que habito no presente.
Mas bem sei e tu também, que não só de um corpo vive uma alma.
Elas vivem de muitos deles. Ao longo daquilo que o homem chama de tempo.

Fecho os olhos e lembro de tempos há muito idos.
Vejo campos amarelados, cobertos por uma relva selvagem, intocada.
Vejo-me a correr, lançar-me sobre ti e tudo se faz real novamente.
Vejo-te ao meu lado, não tão distante quanto hoje.

Para ti fiz-me solitário.
Para ti coloquei-me sobre a torre dos sonhos
Sobre o alpendre da sanidade
Sob o silêncio das serenatas
A torre parece alva, alta, lança-se ao céu.
Não sou a donzela de tranças longas que te espera com muita esperança.
Não sou alma inocente, indulgente para com a esperança.

Sou o solitário da madrugada
O único.
A ouvir o que mais ninguém quer ouvir.
Sou o uivo inquietante
Silêncio sem silêncio concedido.

E tu, que te sinto tão longe, a habitar esferas longínquas
Vejo-te ou sinto-te bem aqui. 
Seja através de um vento não natural que me balança os cabelos.
Seja no calor da madrugada vazia.
Te vejo a espreitar-me, talvez não sabes que sei.
A saudade não mata, nem consola. 
Sem você,






solidão.



quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

As cores da Europa...

O clima europeu é mesmo muito interessante... Eu costumo perceber as cores dos dias, das árvores, do céu.... E aqui, mudam a cada estação... Desde que moro em Coimbra, venho notando como os contrastes são marcantes... As paisagens modificam-se de acordo com a estação, assumindo cores vibrantes e distintas. Quando aqui cheguei, era verão, portanto, fazia muito calor e o verde era a cor predominante. Via-se as árvores muito verdes, vivas, com ramos de folhas gigantes e frondosos. Atualmente, estamos nos fins do outono e noto como as paisagens modificam-se. As folhas tornam-se amareladas e tudo ganha uma cor mais suave e menos intensa e voraz como é no verão.


Esta é uma foto tirada em pleno verão. É a foto de uma estátua muito conhecida, no jardim botânico.





Alguns meses depois, olhem a cor das árvores! Como mudou! Fico impressionado com isso!



A cidade de Coimbra é mesmo muito interessante e recomendo para quem tem a oportunidade de 
conhecê-la! É uma cidade pequena, mas também tem seu lado muito urbano e movimentado...









 Diria que é uma cidade que contrasta o passado e o presente, pois se temos arcos centenários dos tempos romanos ainda intactos de um lado da cidade, há uma parte com edifícios, shoppings e tudo que uma cidade do século XXI possui. 





domingo, 2 de janeiro de 2011

Canto ao Sol - Poema Celta


AO SOL

Eu te saúdo, Sol das estações,
Na tua viagem pelos altos céus.
Rasto indelével no cimo dos montes,
Senhor amável de todas as estrelas.

Mergulhas sereno nas trevas do mar
Ninguém te toca e nada tu sofres.
Depois te levantas da calma das ondas
Como jovem príncipe coroado de rosas.