Orpheus, de Franz Stuck

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Ó véspera de prodígio




Creio nos anjos que andam pelo mundo,
Creio na deusa com olhos de diamantes,
Creio em amores lunares com piano ao fundo,
Creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes,

Creio num engenho que falta mais fecundo
De harmonizar as partes dissonantes,
Creio que tudo é étero num segundo,
Creio num céu futuro que houve dantes,

Creio nos deuses de um astral mais puro,
Na flor humilde que se encosta ao muro,
Creio na carne que enfeitiça o além,

Creio no incrível, nas coisas assombrosas,
Na ocupação do mundo pelas rosas,
Creio que o amor tem asas de ouro. Ámen.



              Natália Correia         



in Sonetos Românticos (1990)
Poesia Completa
Dom Quixote, 2007

2 comentários:

  1. É um poema maravilhoso. Ouvi numa peça de teatro que assisti. Muito bom! Encantador, forte, dramático e exprime exatamente o que sente uma alma romântica.

    ResponderExcluir