Orpheus, de Franz Stuck

sexta-feira, 11 de março de 2011

Estou em paz.



O meu amor desmanchou-se em lágrimas.
Mas as lágrimas, além de enxugarem a alma,
trazem a compreensão. Estou em paz.
A minha tempestade dissipou-se.
Aprendi a te olhar de outro modo.
Um modo mais transcendente, onde as almas
não são apenas vultos. Onde o verdadeiro sentimento,
ultrapassa a fina linha do tempo e da matéria.
Estou em paz. Aprendi a te ver com olhos mais queridos,
complacentes, quase paternos. Meu amor não diminuiu,
ele apenas abrandou-se. Aprendi que o amor não cobra,
venci o meu egoísmo. Te quero apenas a sorrir.
Estou em paz, mesmo te vendo ao lado de outro rapaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário