Orpheus, de Franz Stuck

segunda-feira, 28 de março de 2011

Eu conheci um menino.




Eu conheci um menino.
Eu conheci um menino que me fez sorrir.
Eu conheci um menino que me fez chorar.
Eu conheci um menino que fez eu me sentir leve.
Um menino que sempre sorriu, me deixando corado.
Eu conheci um menino que fez de mim o homem mais ridículo, o mais tolo,
imprudente, a mais carentes de todas as feras.
Perdi o chão, perdi a pose e meu orgulho ficou em suas mãos.
Eu conheci um menino que me negou todos os beijos.
A não ser, o beijo que roubei.
Eu conheci um menino que me negou todas as chances,
todas noites, todos os braços e abraços.
Um menino que me presenteou com o seu silêncio, com a sua indiferença,
com o seu inconcebível mistério.
Eu conheci um menino que me fez chorar como uma criança,
humilhar-me como um mendigo e também sonhar como um tonto pierrot
apaixonado.
Eu conheci um menino que me fez tão pouco, que me evitou,
fugiu, não disse, desconversou, foi-se, não olhou para trás.
Eu conheci um menino e não o decifro.
Alguém que simplesmente me rejeita não rejeitando.
Um menino que me disse não dizendo.
Um menino que me presenteou com o seu silêncio.
E mesmo depois de todas as lágrimas perdidas no escuro,
de todos os soluços solitários, de todos os nãos,
eu ainda penso nesse menino.
Ainda o espero.
Espero não esperando.
Outros passam e acenam, chamam,
e muitas vezes eu vou.
Mas é nele que penso, e quando outras mãos me tocam que não
são as suas, minha alma lamenta-se.
Lamenta-se e pergunta-se o motivo para tanto mistério.
Um mistério que às vezes parece clarear-se, enchendo-se de vultos,
quantos paradoxos!
No fundo, a esperança já não é grande coisa.
Ele continuas a ser o menino calado. O menino que nada me diz e ao mesmo
tempo, diz-me tudo.
Diz não dizendo que eu devia desistir. Desistir de entender.
Porque a esperança de tê-lo ao menos em uma noite já se flagelou,
perdeu-se como nuvem,
dissipou-se com a poeira, partiu com a nau dos impossíveis.
Eu conheci um menino que insiste em habitar todas os meus versos.
Eu conheci um menino que invade todas as músicas, filmes, palavras e sons.
Eu conheci um menino que me diz tudo não dizendo nada.
Eu o conheci e o vejo partir sem olhar para trás.
Eu conheci um menino, pensando ter conhecido um homem.

Um comentário:

  1. tbm conheçi um menino, q nao me negou bjo nenhum e q nao roubei,q nao me fez chorar, nem me negou todas as chançes braços e abraços, ele nao fujiu esta fazendo a vida em outro lugar... q sempre estara em minha mente e coração, e nunca irei esqueçe-lo.
    Mas esse menino eu o desifro, com apenas um nome, uma palavra, ou até msm uma frase... (te adoro charles)

    ResponderExcluir