Orpheus, de Franz Stuck

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Voa.


Voa.
Sim,
deixa de lado esses...
Esses que reclamam da luz
que atravessa a cortina.
Abre a tua janela,
pula, se for preciso.
E corre colina à cima,
para perto do céu,
onde a voz do vento,
doce,
diz,
na língua do ar,
que não é tarde para voar.

2 comentários:

  1. cada dia mais dedicado à Poesia, to gostando de ver, nem parece aquele q e dizia nao saber fazer Poesias... simplesmente demais... bjaoo meu lindo

    ResponderExcluir
  2. Aaah, passei a amar ainda mais a poesia! É fantástico, há coisas que só ela pode dizer... Beijos no coração, Érika!

    ResponderExcluir