Orpheus, de Franz Stuck

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Fatalidade

Não sei tecer
senão espumas,
nuvens
e brumas.
Coisas breves.
leves, 
que o vento desfaz.


Como prender-te
em teia tão frágil? 


Poema de Luísa Dacosta in 'A maresia e o sargaço dos dias'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário