Orpheus, de Franz Stuck

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Só pra ti.

Cá,

comigo e sem intrusos,
deito-me dentro de mim,

Onde eu posso me esquecer,
E sonhar

Sem          ter       medo,

no silêncio que há em mim.

Descanso

Soli  dão 
             respeitada e privada,
querida e até sonhada.

Noite per di da em pensamentos
e abajur. 
Luz de abajur.

Só acenderia as luzes para ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário