Orpheus, de Franz Stuck

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Reticências.

No fundo,
mesmo que não queira admitir,
eu já me acostumei 
com toda esta dor,
esta saudade
e este sentimento de perda.
Sinto que te perco mais e mais
a cada dia
- é como se tu estivesses
cada vez mais longe...
Me deixaste assim tão só,
tão quieto,
imerso em pensamentos tristes
e meus versos de melancolia.
De algum modo,
existe um pedaço de mim
que sabe que te verá de novo....
Eu só não sei, se no futuro,
tu ainda vais gostar de mim
como um dia gostaste...
E isso me dá medo,
porque eu nunca amei alguém
como eu te amo!
...
Reticências...

Tenho de me habituar a elas,
ao silêncio e a falta
- a este eterno e doloroso
'esperar'...
Espero, meu pequeno, espero.
Só não te esqueças,
por favor,
de dizer-me o que será do nosso amor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário