Orpheus, de Franz Stuck

domingo, 13 de maio de 2012

Delicadeza.

Solos de violão
mãos dedilhando notas sensíveis
Tardes de sol
Delicadeza
Céu azul azul
Nuvens brancas de algodão doce.

Na beira do rio,
sentado eu me lembro
que podia ser de novo ontem,
aquela tarde querida,

quando brilharam-nos
os nossos olhos,
E nossos ouvidos eram
tocados pelos sons dos passarinhos
que brincavam contentes...

Não pensávamos assim no Tempo,

éramos assim, assim sorriso,
novidade,
um gosto bom de goma na boca,

não doía assim tanto a Saudade.






Nenhum comentário:

Postar um comentário