Orpheus, de Franz Stuck

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Deixe-me ser o homem.


Deixe-me ser o homem,
o homem dos teus dias e noites.
Deixe-me ser o homem que vai secar as suas lágrimas,
apertar-te contra os braços e dizer que está tudo bem.
Deixe-me ser aquele que te mostrará o pôr-do-sol,
o homem que que lerá poesias para você,
e a cada sorriso seu te presenteará com um beijo.
Deixe-me ser o homem que te acolhe,
te ama e caminha junto a ti neste vale perdido nas sombras.
Deixe-me ser o homem,
Deixe-me ser seu,
Deixe e se permita,
Permita-se,
Abandone o seu altar de silêncio,
venha ser o meu homem e deixe-me ser o seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário